quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Incitação à rebeldia (ou seria à consciência?)

A prisão é despercebida, é suportada com paciência. Nossa liberdade no mundo em que vivemos se reduziu a pó, enquanto nós estamos parados, observando o que é a prova viva de que a palavra “auto-destruição” não é fictícia. Não é uma fantasia. Nós acabamos com o que temos (no passado e no presente), e temo questionar se continuaremos com tal hábito. É possível que suportemos a vida e o que fizemos dela sem sentir um peso nos ombros? Você nunca se sentiu cansado dos feitos de outros seres humanos sobre você? Nunca se sentiu usado?
Batalhamos e estudamos e suamos e corremos atrás do dinheiro. Porque o conhecimento agora não é mais o que move o mundo, é o que move o dinheiro no mundo. Estudamos e aprendemos não para adquirirmos um pouco do mundo em nossas mentes, e sim para conseguir o dinheiro que nos manipula e nos prende. Somos escravos do dinheiro, e então morremos. Você vive sua vida pelo dinheiro, você não vive sem o dinheiro. Você nasceu pelo dinheiro! Soa agradável pra você?
Soa agradável todo o nosso planeta ser destruído por nossas cobiças mesquinhas e egoístas? Emitindo gases que nem loucos num planeta que nem é nosso, nem é de ninguém... Porque todo mundo tem mania de grandeza. Todos querem mandar em todos ao seu redor, quando a posse é supérflua. Vocês querem possuir tudo e todos, com que propósito? Políticos querem governar o mundo, com que propósito? Ao sermos governados somos chamados de irracionais, por causarmos conflitos sem supervisão adequada. Tá me entendendo? Você precisa de alguém pra te governar e mandar em você, te restringir das suas vontades, porque você e o resto do mundo sozinhos causariam danos demais. 
E seus governantes mentem pra você! Você paga pra ter seus desejos limitados, e nem metade dos seus direitos você possui. Porque pegam o dinheiro que você deu para que te governem, e não usam pra você. Percebeu o quanto nós somos marionetes nesse mundo? Percebeu o mínimo de liberdade que nós temos (senão nenhuma)?

Um comentário:

  1. Ah, Mariane! Vá escrever um livro. Estarei esperando-o ansiosamente.

    ResponderExcluir